Feira Avicultor 2013 em BH
19 de maio de 2015
Comprovação de eficácia – Sabonete Antisséptico White Per
19 de maio de 2015
Show all

Programa de Qualidade: “Higiene e Segurança dos Alimentos”

  CM013_3-213x300Não podemos falar sobre segurança alimentar sem passar pela palavra HIGIENE. Muitas doenças são evitadas com a adoção de algumas práticas, bastante simples e eficientes. Toxinfecções alimentares acontecem todos os dias e, na maioria das vezes, seus sintomas não são tão aparentes e de difícil identificação. Algumas bactérias e/ou toxinas podem ser letais. A microbiologia e a higiene alimentar se aliaram com o intuito de garantir um produto final de qualidade. Práticas incorretas podem alterar os alimentos causando prejuízos à saúde. Todas as fases de produção, desde a matéria prima até a distribuição final devem ser acompanhadas, desenvolvendo ações de controle, identificando onde estão os perigos e pontos críticos do processo. Estas práticas não devem ser um conjunto de regras chatas e obrigações, mas uma mudança de ser e estar. Você se beneficia. Seu cliente agradece e retribui! Algumas medidas que devem ser adotadas na prevenção da contaminação dos alimentos:
  • Observe as condições da matéria-prima quando de seu recebimento.
  • Lave sempre as mãos – As mão devem ser lavadas sempre que iniciar um processo de preparo de alimento. Se manipular carnes ou peixes e depois verduras ou legumes, mesmo que para uma mesmo receita, as mãos deverão ser lavadas novamente. Não esqueça entre os dedos.
  • Manipule os alimentos o mínimo possível.
  • Evite a contaminação cruzada – Um dos fatores mais comuns de contaminação alimentar. As bactérias são transferidas de um local a outro através de contato. Podem ser por utensílios, alimentos, manipuladores ou CM095_3-300x213equipamentos.
  • Lave cuidadosamente, em água corrente, frutas e vegetais que serão consumidos crus – O Ministério da Saúde diz que 34,5%, em média, das doenças transmitidas por alimentos no Brasil acontecem pela higienização incorreta.
  • Mantenha todos os alimentos fora do alcance de insetos e roedores – Animais transportam microrganismos causadores de doenças alimentares. Os alimentos devem ser acondicionados em recipientes fechados e, neste caso, a dificuldade da entrada de ar também evita a deterioração por alguns micro-organismos.
  • Mantenha as superfícies limpas – Existem produtos próprios para a correta higienização de superfícies que garantem uma correta desinfecção.
  • Utilize água potável na higienização dos alimentos.
  • Separe os alimentos para armazenamento – Os locais de armazenamento e estocagem deverão estar limpos e CM119_3-300x213desinfectados.
  • Retire os materiais que estão fora de uso, estrados, por exemplo, evitando a presença de insetos e roedores.
  • Se a mercadoria veio em caixas de papelão ou sacos de papel, devem ser retiradas e acondicionadas em embalagens novas e próprias.
  • Todas as embalagens devem ser etiquetadas e conter identificação com informações como: nome, marca, data de validade e/ou fabricação
  • Os produtos devem estar afastados da parede em, pelo menos, 10cm permitindo a circulação de ar entre eles.
  • Não armazene alimentos junto com produtos de limpeza, produtos químicos ou de higiene.
  • Alimentos que requerem manipulação devem ser fracionados em embalagens fechadas adequadamente.
  • Não coloque os vidros de “ponta-cabeça” – Tal medida favorece o aparecimento de ferrugem nas tampas.
As áreas de um estabelecimento que se destina à alimentação formam a brigada de trabalho, a equipe, que deve ser treinada, motivada e unida. A troca de informações entre os profissionais envolvidos no processo é uma busca constante da boas práticas, eliminação dos perigos, controle das preparações, preservando a qualidade e os nutrientes, tendo como objetivo a segurança alimentar.